A Triennale de Milão

por thaís serafini

Acho que é mais do que útil e importante, depois de falar sobre a Terceira Interpretação do Mendini dedicar um post para detalhar a própria Triennale Design Museum.

Inaugurada em 2007 como o primeiro museu do design italiano, a Triennale apresentou sua primeira interpetação anual em 2008 com o título “As sete obsessões do design italiano”. O ano de 2009 trouxe a exposição ‘Serie Fuori Serie’, com objetos apresentados segundo a sua fabricação (desde a produção em grandes séries até os personalizados fora de série).

As interpretações anuais são uma maneira de demonstrar pontos de vista diversos e a multiplicidade do que há de mais clássico do design no mundo.

Além disso (e do ambiente inspirador do prédio em si), a Triennale conta com uma livraria completa e apetitosa para as artes, o design e a moda, e com o Designcafé que disponibiliza uma coleção de cadeiras ícones do design para serem desfrutadas durante a pausa café ou lanche. O pátio e restaurante externo são interligados ao enorme Parque Sempione (nos fundos do Castello Sforzesco) e oferecem um aperitivo semanal em parceria com a Campari, o Camparitivo. Ou seja, é um lugar onde poderíamos praticamente viver de design felizes para sempre.

 

Restaurante externo no tema Camparitivo

Restaurante externo no tema Camparitivo

 

Instalações no pátio da Triennale

Instalações no pátio da Triennale

 

O pátio e o parque

O pátio e o parque

Outros eventos interessantíssimos estão sempre girando na órbita Triennale, por exemplo, em 2010 pude visitar mostras como a do Roy Lichtenstein, conhecer algumas luminárias típicas dos anos 60 na mostra Space Light e assistir gratuitamente palestras incríveis como a do Gaetano Pesce e a dos Irmãos Campana.

Visitar Milão e não dar uma passadinha na Triennale é um pecado quase tão grave quanto visitar a Itália e não provar uma pizza Margherita.

 

Palestra com os Campana (14/10/2010)

Palestra com os Campana (14/10/2010)

 

A mostra dos Campana na Triennale

A mostra dos Campana na Triennale

 

Roy Lichstenstein: Meditations on Art (05/2010)

Roy Lichstenstein: Meditations on Art (05/2010)

2 Responses to “A Triennale de Milão”

  1. Ola!

    Algumas consideraçoes a acrescentar, se posso:

    O edificio Palazzo dell’Arte, ou conhecida hj como Triennale nasceu em 1933, pelo arq. Muzio para sediar justamente um feira trienal que aconteceria naquele ano, entao transferida de Monza para Milao.
    (pensando em termos de tempo, na época tinha o Mussolini no poder, que como todo ditador que se
    preze quis marcar o seu periodo com a arquitetura, desenvolvendo a arquitetura moderna na Italia, como a Stazione Centrale também em Milao)

    Teve um periodo de quase ocio total, até entao ser resgatada para fazer jus à sua tradiçao. Menos mal! Hoje em dia nao tem como pensar na cidade sem ela.

    A posiçao dela no Parco Sempione foi pensada para fechar com a composiçao de 4 elementos importantes nele: o eixo principal (longitudinal) composto por Castello Sforzesco e Arco do Triunfo, e entao o eixo transversal Arena – Triennale.

    Beijos!

Trackbacks

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: