Dissecando as cadeiras de escritório

por thaís serafini

Alice Rawsthorn é capaz de trazer semanalmente assuntos interessantes e variados, com um ponto-de-vista muito valioso, e dessa vez sua coluna no NYTimes não foi diferente: apresentou o livro do pesquisador e designer Jonathan Olivares, chamado “A Taxonomy of Office Chairs”.

Ainda bem que a querida Alice explicou resumidamente pros desavisados (como eu) que taxonomia é um sistema de classificação, ressaltando também que esse approach particular do autor sobre um objeto como a cadeira de escritório é o que o distingue daqueles típicos livros de design que ficam da mesa de centro da sala.

Segundo a crítica, o autor poderia bem ter escolhido qualquer outro objeto, pois sua intenção principal era na verdade traçar a evolução de um produto industrial de uma maneira parecida com a que os biólogos e cientistas estudam a natureza. Mas mais um ponto pro autor, porque segundo Alice, as mais interessantes histórias de objetos de design devem ser um combinado de fatores como:

a) ser familiar o suficiente para ser reconhecido por qualquer um, mesmo aqueles que não o utilizam;

b) ser desafiador em termos de estrutura ou sistema operacional para persuadir os mais ábeis produtores a fabricá-los;

c) ser um reflexo da sua época, particularmente de mudanças sociais, econômicas, culturais comportamentais.

Poucos objetos possuem todos estes itens como a cadeira de escritório, e que além disso é usada intensamente por trabalhadores no mundo todo e tem efeitos diretos sobre a sua saúde e bem estar.

O livro apresenta três formas de classificação, iniciando com a cronologia, passando por uma análise do desenvolvimento das partes componentes de uma cadeira (como apoio para cabeça, assento, base) e finalizando a terceira parte com cadeiras que são marcos na história deste produto, como a Aeron Chair de 1994 criada por Herman Miller (à direta na foto).

office-chairs

Fato curioso e comprovação de que, como disse Alice Rawsthorn, você nunca mais vai olhar para uma cadeira de escritório como antes: Charles Darwin foi o designer a criar a primeira cadeira com rodízios na base ao “customizar” uma antiga cadeira de madeira em sua casa, facilitando assim seu serviço de analisar espécies incansavelmente. Sim, essa cadeira que é um misto de amor e ódio e te acompanha diariamente na frente do computador tem um importante antepassado lá no famoso cientista evolucionista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: