três reaproveitamentos na Casa Brasil 2011 e um desagrado

por thaís serafini

Três nomes importantes do design e moda no Brasil, todos com projetos apresentados durante a Casa Brasil 2011 e que utilizavam reaproveitamento de materiais descartados. Dois deles eu aprovo e quero através deste post prestar reconhecimento, porém o outro prefiro levantar um “questionamento”.

Ok, começando do começo: no pavilhão F da feira foram apresentados o Prêmio Salão Design, a Material Connexion (que eu adoro), a exposição Desenho de Fibra, o Banco de Ideias, entre outras, sem esquecer do restaurante ‘sofisticado’.

Porém, para abrigar todos estes projetos e seus visitantes, duas instalações paralelas estiveram quase por roubar a cena (para mim): os sofás de Tina & Lui, que convidavam para aquela paradinha estratégica em meio ao pavilhão de muitas informações. Feitos de espuma moída e aglomerada reaproveitando os resíduos da fabricação de colchões da empresa Herval, para onde foram devolvidos no fim da feira para mais um reaproveitamento. Simpáticos, confortáveis e simples.

sofá tina & lui

sofa tina & lui

Jum Nakao, estilista e diretor de criação, merece os meus elogios pelos painéis/armários que foram a ambientação deste pavilhão. Engraçado foi entender ao fim da visita que, na verdade, as peças de design vencedoras estavam escondidas, de costas, protegidas por estas estruturas tão interessantes quanto elas. “Tive a ideia de integrar o que é descartado por várias indústrias, fazer uma arqueologia de fragmentos. Há nas sobras uma beleza e um sentido invisíveis, e depende do homem torná-los visíveis e fantásticos.” Assim sendo, Nakao criou à mão esses mosaicos de resíduos da região de Bento Gonçalves e um efeito geral dos mais interessantes.

 

pavilhão F

 

painéis Jum Nakao

detalhe painéis

 

Os irmãos Campana, os designers brasileiros mais famosos internacionalmente, estiveram na inauguração da Casa Brasil 2011 pois apresentavam também sua instalação na entrada principal da feira. O que era para ser uma “floresta de correntes […] que mostra com grande efeito a união do reaproveitamento e criatividade“.  Tratavam-se de correntes de garrafa PET e faltou muito para que produzissem qualquer tipo de efeito interessante, ou mesmo de floresta que fosse. Parece que foram interrompidos no meio do trabalho por falta de tempo ou de material, mas duvido que alguém esperasse isso de uma instalação by Irmãos Campana.

 

instalação irmãos Campana

 

2 Comentários to “três reaproveitamentos na Casa Brasil 2011 e um desagrado”

  1. O Jum Nakao é foda. Pelo jeito não é só na costura que ele trabalha os “sentidos invisíveis”.

    Mas essa instalação dos Irmãos Campana parece um ginásio de esportes com aquelas “redes” pra bola não sair sabe? :S

  2. Parece mesmo, e falando nisso, podia ser uma instalação feita até por estudantes do primeiro grau reaproveitando PET das lixerias do colégio :P (mas acho que esses teriam mais imaginação)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: