abril 16, 2015

We all go Sottsass! | Milan Design Week – parte II

por thaís serafini

Como destaca a Wallpaper, a febre inspirada no Memphis parece mesmo não ter prazo pra acabar… Ainda bem! A estética divertida e provocante do grupo da década de 80 – liderado por Ettore Sottsass – é o tema dos lançamentos da Kartell no Salone de 2015.

Deixando de lado a mera adaptação de produtos já existentes da marca, o que acho mais interessante é que a parceria com o designer começou lá em 2004, porém, não foi finalizada pois muitas das peças demandavam tecnologias que ainda não haviam sido desenvolvidas na época. Sottsass faleceu em 2007 mas a Kartell decidiu que poderia levar adiante a parceria seguindo suas ideias e agora, mais de uma década depois, conseguiu concretizar todas aquelas linhas e cores malucas.

k-s1

O diretor da empresa, Claudio Luti, afirma: “A tecnologia moderna hoje nos permite produzir os designs de Sottsass em um nível de sofisticação que não poderíamos imaginar dez anos atrás. Estou convencido de que o próprio Sottsass teria sido um grande fã de como trouxemos estes objetos à vida. A sua estética única e reconhecível vão diferencia-los no seu futuro industrial internacional.”

k-s2

abril 16, 2015

“A tecnologia representa o nascimento de uma nova estética” | Milan Design Week – parte I

por thaís serafini

O Salone del Mobile e seus eventos paralelos ainda nem acabaram mas já dá pra tirar uma febre de alguns destaques… Entre os projetos mais comentados está o do autor da frase do título, Max Lamb, com suas 41 cadeiras.

maxlamb

A ideia do designer com a “Exercises in Seating” é explorar diferentes materiais, em diferentes maneiras de sentar, na maioria produzidas por ele mesmo, de maneira manual ou por vezes com apoio da tecnologia. A primeira cadeira foi criada e produzida em 2006, quando ele ainda era um estudante. Passando por materiais como mármore, bronze, cobre, polipropileno, concreto e madeira da fazenda do seu avô, o designer destacou para o Portal Emobile que cada cadeira foi um desafio, que inicia por uma conversa com o material.

Vale destacar o tom pessoal da experimentação de Lamb – e talvez seja exatamente por isso que a sua mostra tem chamado tanto a atenção no meio de tantos lançamentos internacionais. Mais do que cadeiras ou bancos, suas criações trazem seu próprio processo de projeto, aprendizagem e evolução. Não se trata de um showroom mas sim de uma história a ser contada, como se entende nas palavras do próprio designer: “As cadeiras estão dispostas em ordem cronológica de criação, mas você só sabe onde começa se eu contar.”

Imagem e descrição via Alice Rawsthorn (Facebook) e Portal eMobile.

março 25, 2015

Objetos e filosofia

por thaís serafini

 

 

“O desenho de qualquer objeto transmite uma impressão das atitudes psicológicas e morais que ela defende. […] Em essência, o design e a arquitetura nos falam sobre o tipo de vida que deveria desenvolver-se ao redor deles. Eles nos falam de certos estados de espírito que buscam incentivar e sustentar. Eles falam de visões de felicidade.

Sentir uma sensação de beleza é sinal de que encontramos uma expressão material de certas ideias que temos do que seja viver bem.

Os objetos que descrevemos como belos são versões das pessoas que amamos.”

sottsass

 

Alain de Botton e suas teorias inspiradoras… Direto das páginas do livro super interessante “A arquitetura da felicidade“.

A imagem é da estante Carlton de Ettore Sottsass.

março 24, 2015

Palestra de Paola Antonelli no SXSW 2015

por thaís serafini

“Pontes curiosas: como os designers farão crescer o futuro” – eis o nome da palestra da querida curadora de design e arquitetura do MoMA (em uma tradução livre).

Vale a pena aproveitar essa condução simpática e empolgada para se inspirar, viajar e pensar nos futuros espaços de atuação do design e nas pontes criadas entre ele e outras disciplinas, como entre design e tecnologia, design e ciência e mesmo entre diferentes tipos de design.

 

Na imagem a seguir, um dos primeiros slides da palestra, de autoria da dupla do critical design Dunne & Raby. A ideia é contrastar o “antes” – na coluna A – e o “depois” no design – coluna B. Antes e depois do quê? Paola explica: “Antes e depois da nossa geração. Antes o design era considerado somente aquela forma que segue a função, todos aqueles clichês e estereótipos. […] Se antes o foco era resolver problemas, hoje os melhores designers são aqueles que sabem criar perguntas e novos problemas. O importante deste slide é que antes tudo era muito binário e o que estou buscando hoje é espaço entre as coisas, por exemplo, entre uma coluna e a outra.”

DunneRaby

Esse “aperitivo” é pra dar uma ideia do tipo de mudança que a Paola Antonelli acredita estar no presente e futuro do design (e da humanidade). Não deixa de conferir o vídeo pra saber mais ;)

 

 

março 16, 2015

Como serão os nossos móveis em 2020?

por thaís serafini

Quem faz a leitura da bola de cristal para responder a pergunta é Marcus Engman, chefe de design da IKEA na Suécia. Brincadeiras à parte, a gente sabe que a IKEA se esforça pra estar sempre lançando propostas interessantes e conectadas com diferentes estilos de vida (principalmente dos mais jovens).

Segundo Engman, em alguns anos o mobiliário será…

1. Fluido | Com a constante urbanização da população, a previsão é de que as pessoas vivam em espaços cada vez menores. A sala vira quarto, que vira escritório, o sofá vira cama, a cozinha vira sala e assim por diante… Por isso, os móveis deverão ser fluidos para se adaptar!

2. Multiuso | Com espaços menores, as pessoas terão menos móveis, que por sua vez terão que servir para vários fins. O chefe de design brinca: “É possível que o banquinho se torne um dos principais móveis da casa, porque ele pode fazer tanta coisa!”

ikea3

3. Expositor | O hábito de armazenar muitas coisas está com os dias contados. Com menos espaço e menos móveis, teremos menos coisas para guardar. E muito do que guardávamos há algumas décadas virou virtual e sequer ocupa espaço, como livros, DVDs, etc. Porém, há uma tendência de que as pessoas queiram expor os itens que colecionam e que guardam em casa. “Colecionar objetos é uma maneira de mostrar quem somos”, portanto vamos pensar mais em vidro e estantes do que em gavetas e armários.

4. Mais inteligente | A própria IKEA já lançou uma linha de móveis que carregam gadgets eletrônicos sem usar fios. Isso não quer dizer que o mobiliário será sempre mais e mais digital, mas é preciso pensar no uso e na influência dos gadgets no novo estilo de vida das pessoas.

ikea-smart-

5. Menos volumoso | Os móveis flat-plack já são realidade na IKEA e em outras empresas, que entenderam que vender móveis desmontados de maneira inteligente diminui custos e facilita o transporte.

6. Personalizado | A grande sacada será conseguir personalizar produtos feitos em escala. O desafio é grande para os fabricantes mas eis um ponto crucial.

7. Texturizado | “As pessoas estão cansadas de tocar em telas touch o tempo todo”, conclui Engman, que aposta em tecidos de toque estranho para ativar a sensibilidade e causar sensações novas nas pessoas.

Muitas dessas tendências a gente já percebe em casa, nas coisas que escolhemos, em como as usamos para expressar nossa personalidade e se adaptar ao nosso estilo de vida. Pessoalmente, acho que o panorama lançado pela IKEA nestes pontos parece bem promissor :)

via Fastcodesign

fevereiro 12, 2015

Nada de WiFi: conheça os cabos do futuro!

por thaís serafini

Em uma época na qual a comunicação não precisa mais de cabos,  os dados não tem mais forma e Wireless virou sinônimo de modernidade, é surpreendente ver que tem gente ainda pensando nos cabos de alimentação. E pensando muito bem, por sinal!

Cord-UI

Além da criatividade de repropor um item que caminha rumo à extinção, esses estudos do Cord UI do MIT Media Lab me conquistaram pela utilização de movimentos e interações físicas, rotineiras porém tão simbólicas. Ao relacionar um cabo de alimentação com uma mangueira, os autores pensaram em gestos capazes de reter o fluxo de energia da mesma forma que fazemos para controlar o fluxo d’água.

Assim surgiram ideias de cabos que respondem a um beliscão, a uma pisada, a um puxãozinho, a um nó… Bom, o vídeo é autoexplicativo e inspirador:

 

 

via Psfk.com