Posts tagged ‘consumismo’

maio 1, 2012

Designers em crise

por thaís serafini

Os leitores mais presentes e interessados já devem ter percebido que por aqui mais se critica do que se elogia, mais se questiona do que se respondem perguntas, mais se escreve e pesquisa do que se cria. Reflexo dos nossos tempos, do que a (minha) profissão de designer é hoje e reflexo também do que se planeja para o futuro.

Para explicar tudo isso melhor, vou fazer minhas as palavras da Silvia Grilli, tamanha foi a minha identificação com um texto seu. Reproduzo a seguir alguns trechos e convido a um momentinho de reflexão, óbvio, da parte dos designers :)

“Designer em crise

Ao longo da minha vida tenho buscado, paralelamente, desenvolver uma carreira bem sucedida e viver com pouco. Tendo escolhido o Design como forma de expressão e meio de vida, uma carreira bem sucedida significa criar produtos que despertem no consumidor o desejo de possuí-los. E viver com pouco significa evitar o desperdício e exercitar a simplicidade. 

Então, não é um enorme contra-senso atuar como Designer e cultivar o desapego? Durante anos me senti confusa com esta questão. Afinal, minha função na sociedade é estimular o consumo e até criar necessidades inexistentes. 

Gandhi disse: “Precisamos SER a mudança que queremos VER no mundo”. E SER é tão diferente das seduções trazidas pelo TER!

Minha redenção começou quando descobri que, como designer ou consumidora, é possível “ser coerente”. Mais do que ser ecológica ou ser sustentável (não gosto de palavras da moda), ser coerente é reduzir o consumo, reciclar, reutilizar, reaproveitar, redesenhar… Infelizmente o mundo à nossa volta não é nada coerente.

[…]

Dizia um professor meu há 25 anos atrás: ‘quanto melhor designer você for, menos desenhará’. É claro que demorei um pouco para entender e hoje concordo plenamente. Quando fica preso somente ao ato de desenhar, o designer deixa de pensar, planejar. Numa palestra recente o diretor de arte da Magis, Eugenio Perazza, também disse aos jovens designers brasileiros: “Pensem muito e desenhem pouco”. E é isto mesmo. Com o amadurecimento de nossa atividade no Brasil veremos designers cada vez mais engajados na produção de objetos inteligentes, comprometidos com o desenvolvimento sustentável e claro, livres das crises de identidade.” (Silvia Grilli, 2009)

fevereiro 9, 2012

O mercado de 140 milhões de pessoas

por thaís serafini

O Interessante assunto foi lançado pelo Design Simples e acabou gerando comentários também interessantes, mesmo que não tão numerosos. Segue  um trecho que selecionei para compartilhar e fazer pensar, mesmo eu continuando a me opor totalmente à associação exclusiva entre design e consumo (e acreditando que quantidade não é qualidade):

“Talvez este seja um dos número mais representativos para a economia brasileira nos últimos 10 anos. 140 milhões é aproximadamente o número de pessoas que fazem parte hoje da classe C e D juntas. […] Afinal, o que esses números significam para nós, designers? No primeiro momento, estes números podem não significar muita coisa, porém significa muito! Pode-se concluir que mais pessoas se tornaram consumidoras ativas, com dinheiro na mão ou acesso mais fácil ao crédito. Hoje, são pessoas que estão consumindo mais e, de certa forma, melhor.”

novembro 3, 2011

Deyan Sudjic – A Linguagem das Coisas

por thaís serafini

“Como gansos alimentados à força com grãos até seus fígados explodirem para virar foie gras, somos uma geração nascida para consumir. Os gansos se apavoram quando o homem se aproxima pronto para lhes enfiar um funil de metal goela abaixo, enquanto lutamos por nossa vez de chegar ao cocho que nos fornece o dilúvio sem fim de objetos que constituem nosso mundo. Por exemplo, há quem acampe em frente a lojas da Apple para ser o primeiro a comprar um iPhone.”

setembro 5, 2011

O cubo que vai nos ajudar a projetar o futuro

por thaís serafini

Boa segunda-feira, com Dieter Rams:

 

 

via