Posts tagged ‘#espaço publico’

maio 18, 2012

Carregando baterias na rua

por thaís serafini

Logo logo existirá também um termo para descrever o medo de ficar sem bateria – sim, porque para a fobia de ficar sem celular já existe. As soluções alternativas para o carregamento de dispositivos são bem criativas, algumas sustentáveis como o aproveitamento da energia solar, outras mais simples, como o conhecido carregador utilizado na tomada dos carros.

A verdade é que toda uma nova gama de objetos e situações está sendo criada para tentar suprir o drama de uma bateria que está sempre acabando. O Street Charge é um conceito que pretende aproveitar estruturas urbanas já existentes, acoplando apenas um sistema de células fotovoltaícas para carregar os LEDs e armazenar energia que carregaria os dispositivos.

O mais legal mesmo é a possibilidade de criar um pequeno encontro social, já que fora das redes eles andam raros, através dos elementos convidativos: uma mini-mesa e um banco (que não está nas fotos divulgadas não sei porque), onde a pessoa pode aguardar seu aparelho ser recarregado junto a mais alguém que também se viu na mesma situação. Encontros casuais ou nem tanto?

 

via

Anúncios
maio 11, 2012

Cidades iluminadas e livres

por thaís serafini

Aquela máxima que diz “A familiaridade traz a indiferença” é verdadeira e pode ser aplicada também ao design com frequencia. A maioria dos projetistas acaba sempre priorizando mobiliário, objetos e soluções somente para dentro de casa, esquecendo que o espaço público é uma extensão dela.

Resultado é que temos tantas cadeiras e luminárias lançadas a cada ano porém poucas soluções de mobiliário urbano, a própria mobilidade urbana está sendo repensanda há pouquíssimo tempo (pelo menos por aqui). Os projetos de “design de rua” quase sempre me conquistam e, sem querer querendo, nascem até coleções como a Love Street Light.

A Philips lançou em 2011 na Dutch Design Week um sistema de iluminação urbana que está sendo levado adiante e testado em Eindhoven. O Freestreet dispensa o uso dos perigosos e feios  postes de luz, diminui a poluição visual das cidades, tendo todos os seus sistemas dentro dos próprios cabos. As lâmpadas são de LED, é claro, garantindo maior eficiência e durabilidade. Em muitas cidades existem já sistemas de iluminação urbana similares  (algumas zonas de Milão, por exemplo), mais antigos porém igualmente interessantes na paisagem urbana.

via

março 28, 2012

Cadeiras de rua

por thaís serafini

“Em tempos de restrições econômicas e pressões ecológicas, a necessidade de encontrar novas soluções para os desafios que os arquitetos enfrentam transcende os modelos tradicionais baseados em design de autoria individual e os limites disciplinares convencionais.”

Palavras e ideias bonitas dos responsáveis pelo projeto Street Seats. A firma de arquitetura Bade Stageberg Cox desenvolveu este projeto de mobiliário para o Pier 94 Coffee Bar na feira de arte The Armory Show.

As 50 cadeiras utilizadas na ocasião foram encontradas abandonadas nas ruas de Nova Iorque, ganhando vida nova através de consertos e pintura amarela como a dos táxis nova-iorquinos.

“Assim como os moradores da cidade, as cadeiras são um mix eclético. O fundo de cada cadeira ganhou um carimbo para documentar a data e o local onde foi encontrada.”

 


março 8, 2012

A vida na rua

por thaís serafini

Infelizmente, ainda são ‘informais’ as tentativas de transformar os espaços públicos em algo mais confortável e menos terra-de-ninguém. Mesmo longe do que deveria ser um projeto de mobiliário urbano, esta ideia mostra o quanto pode ser simples atender e perceber as necessidades mais óbvias da vida na cidade.

 

 

 

 

 

 

via

março 1, 2012

Correspondente exclusivo de Veneza

por thaís serafini

Ok, não chega a ser um correspondente – e nem exclusivo – mas meu querido ex-colega de faculdade Raul de Souza esteve pelas bandas da Itália e mandou um material interessante. Trocamos umas dicas antes da viagem dele e fico feliz de poder publicar aqui as suas fotos dele. Seguem trechos do e-mail explicando o interessante projeto:

olá!

e continua a organização das fotos da viagem, encontrei algo interessante:

Em Veneza, num cantinho do museu do Palácio dos Dodges (Pallazzo Ducale), havia alguns protótipos de bancos como proposta de mobiliário urbano, feitos de material reutilizado proveniente dos postes que estão por toda a cidade e são usados pelos gondoleiros. Depois descobri que era o Tra le Briccole di Venezia Award, um concurso da Fondazione di Venezia e da empresa Riva 1920. Na edição 2012, o tema será a produção de uma mesa inspirada nos briccoles (postes).

Grazie, Raul, grazie mille!

janeiro 6, 2012

Design para as Olimpíadas de Londres 2012

por thaís serafini

Será uma ótima oportunidade de “comprovar” essa história de o Brasil ter superado o Reino Unido como sexta maior economia do mundo. Sim, porque a capital inglesa será sede dos Jogos Olímpicos neste ano e o Rio de Janeiro será a próxima, em 2016. Na prática, veremos quem lida melhor com uma infinidade de problemas e situações que nada tem a ver com esse upgrade que deram à nossa economia.

Enfim, o assunto na verdade são estes dois projetos de design diretamente relacionados às Olimpíadas de Londres. O primeiro tem todo a minha admiração por um designer que já foi falado – e elogiado – por aqui. Martino Gamper foi comissionado pela London Thames Gateway Development Corporation para criar o mobiliário urbano da Olympic Fringe Area e de zonas próximas ao Estádio Olímpico. Além de melhorar o visual da área que será muito visitada, o projeto incentivou um percurso não muito utilizado da zona e utilizou ainda materiais recicláveis e reutilizados para os bancos e demais estruturas.

As linhas quase desajeitadas porém simpáticas são clássicas de Martino Gamper e conferiram ainda mais valor e originalidade ao projeto urbano.

E agora o segundo projeto: uma moeda comemorativa lançada para comemorar o ano das Olimpíadas, criada por Neil Welfson para explicar um tema complicado com poucos recursos. A nova edição da moeda de 50 centavos de libra ganhou uma ilustração que tenta explicar a regra do impedimento no futebol. Segundo a fonte ainda, o criador foi às ruas de Londres para saber se as pessoas entenderam a explicação, mas muitos entrevistados disseram não conseguir compreender o seu desenho. Admiro a iniciativa e, realmente, era tarefa complexa!