Posts tagged ‘salone 2012’

junho 13, 2012

Analisando os tweets da feira

por thaís serafini

Já que durante o dia não dá tempo de postar, vou guardando um monte de links e materiais que gostaria de publicar aqui. Portanto, é natural que às vezes alguma coisa acabe ficando de fora, perdendo seu momento ou que eu esqueça de onde veio o bendito link – que é o caso deste post.

Mas é interessante demais pra deixar de publicar e tem tudo a ver com os assuntos que o povo cansa de ver por aqui: design e Itália (mais especificamente, Milão).

O projeto Design Week Tweets é um experimento que não foi finalizado ainda – imagino que analisar tantos tweets e palavras não deve ser tarefa simples – mas pretende comparar os tweets gerados na cidade de Milão durante 3 semanas do Salone del Mobile deste ano, sendo uma semana antes e outro depois da feira em si.

Por enquanto, são estudos preliminares que vemos aqui. A ideia do grupo é entender se é possível lançar este tipo de questionamento digital para gerar conhecimento sobre as mudanças na dinâmica da cidade durante um evento tão simbólico. Pode parecer exagero, mas a feira é sim capaz de alterar o ritmo de Milão de maneira particular, fazendo sentido que se estude o fenômeno e seus desdobramentos.

Estas imagens, por exemplo, mostram os estudos de idiomas mais tuitados e também a faixa de horário e período. Para o futuro, a ideia é analisar concentrações espaciais (e consequentes pontos de encontro, de referência ou mais visitados), possíveis áreas emergentes de visitação na cidade, analisar grupos que mais visitaram a feira, como os estrangeiros se movimentavam pela cidade no período, e analisa também nomes mais citados, seja de designers ou marcas.

Preciso dizer que fiquei bem curiosa para conferir o resultado?

Anúncios
maio 15, 2012

Revisitando com Ron Gilad

por thaís serafini

Não sei se faz muito tempo que o mundo acompanha de perto o trabalho do designer israelense Ron Gilad, a verdade é que pra mim ele ainda é um pouco desconhecido. Gosto muito de uma série de esculturas suas que já apareceu por aqui, mas neste ano o seu nome foi muito pronunciado entre os destaques do Salão do Móvel de Milão. Também pudera, criar formas surpreendentes utilizando um material conhecido por propriedades tão estáticas não é só questão de criatividade.

O azulejo Cuscini (meu preferido, a seguir) faz parte desta coleção para a fabricante italiana de mármore Salvatori, composto também por outras 3 peças: dois bancos e um dividor de ambientes. Convidado pela empresa para revisitar seu carro-chefe, Gilad estudou a fundo o material para criar o projeto Soft Marble, definido assim: “Gilad usa a ironia e a leveza para criar objetos sólidos e importantes, tendo sucesso em destacar o potencial técnico e expressivo do mármore – que em suas mãos se tornou um material surpreendentemente versátil e maleável”.

via

abril 27, 2012

Fotografando com papelão e IKEA

por thaís serafini

Fale o que quiser, mas  a IKEA é dona do meu coração. Ok, tem grande parte da minha admiração. Os passeios nas lojas são uma verdadeira inspiração consumista e bem-humorada, onde tudo parece acessível e pensado nos mínimos detalhes. Não são os reis da qualidade e da durabilidade mas, tudo bem, representam já muitas e importantes mudanças no mundo do mobiliário.

Isso é só uma introdução abstrata para apresentar a câmera digital compacta produzida por eles, em tiragem limitada para a imprensa no Salão do Móvel 2012. Feita em papelão, a câmera funciona com duas pilhas e tem capacidade de tirar 40 fotos – que podem ser desacarregadas via USB em uma interface da IKEA que recolhe fotos do mundo todo.

Chega de explicar, o vídeo engraçado a seguir apresenta a curiosa câmera e sua “tecnologia”, é impossível não sorrir com a sua simplicidade, demais:

abril 20, 2012

Salão do Móvel 2012: Lenny Kravitz designer?

por thaís serafini

São tempos realmente tristes engraçados para os designers: enquanto aqueles que estudaram mal conseguem sobreviver (quando alguma empresa decide dar a chance, é claro) as celebridades que precisam acabar com o tédio e ganhar atenção da mídia, acordam e resolvem assinar uma linha “design”. Salvo algumas raras exceções das quais nascem produtos realmente interessantes, a maioria acaba por aplicar o famoso Styling somente.

Eis que a Kartell resolveu apresentar no Salão do Móvel uma coleção produzida por Lenny Kravitz em parceria com Philippe Starck, que havia projetado a cadeira Mademoiselle há alguns anos. A ideia foi escolher texturas e tecidos exóticos para reinterpretar a peça imprimindo o estilo pessoal do rockstar. Parece que Mr. Kravitz tem até um studio de arquitetura próprio mas, de qualquer maneira, espero que a Kartell tenha outras cartas na manga para apresentar neste Salone (e poder chamar de design).

imagens via

abril 18, 2012

Ainda temos apetite para os móveis?

por thaís serafini

É a pergunta que os designers resolveram abordar neste projeto apresentado no Salone del Mobile 2012 (e que diz respeito especificamente a este evento). Pessoalmente, por mais que seja um pouco reclamona e bastante crítica quantos aos lançamentos, tenho sim muito apetite pelo mobiliário, pelo design e todos os seus derivados. Portanto é sempre curioso ver projetos que procuram falar de móveis sob um ponto de vista fora do comum – sejam eles comerciais ou não.

Ryosuke Fukusada e Rui Pereira criaram “Sapore dei Mobili” como reflexão para a velocidade extrema com que a indústria do mobiliário produz e a consequente dificuldade de digestão que os consumidores têm frente a tantos lançamentos. A frigideira mistura ainda tradições japonesas e portuguesas, os designers explicam:

“Usando a mesma técnica de moldagem nós criamos uma nova tipologia de objeto e ao mesmo tempo uma nova tradição pois brincar com a comida não costuma ser permitido. Você pode criar sua sala de estar comestível e pintar os bolinhos-móveis com suas geléias e coberturas favoritas. Neste sentido, quando o usuário se cansa do seus móveis ele pode simplesmente comê-los sem gerar resíduos.”

 

via

abril 16, 2012

Salão do Móvel 2012: Marni e os prisioneiros colombianos

por thaís serafini

O primeiro post aqui no Cataclisma sobre o Salone del Mobile 2012 não poderia deixar de trazer alguns questionamentos comuns meus para com o design: começando pelo fato de analisar uma feira à distância (coisa que tem sido muito facilitada pela internet, apesar de totalmente parcial em suas divulgações). Talvez por isso o primeiro post de lançamento venha de uma fonte que não costuma falar de design e me proponho a analisar os lançamentos sob outros pontos de vista dessa vez.

Quanto ao produto em si e à marca: a Marni é um nome importante da moda italiana e internacional e, portanto, basta lançar um produto para sair na mídia, assim como acontece com a maioria dos lançamentos grandes do Salão do Móvel, sejam eles relevantes ou não.  E sim, são cadeiras, os produtos favoritos de todos os designers e do público em geral quando se fala no assunto. Um dia ainda conseguirei desvendar esse fascínio de maneira satisfatória sem recorrer à crítica que costumo fazer: Precisamos mesmo de mais 9756 modelos novos de cadeira esse ano?

Sigo analisando a coleção em si: são 100 cadeiras fabricadas por ex-prisioneiros colombianos. O projeto pretende reafirmar o caráter beneficente da marca dando oportunidade de trabalho e reintegração social aos presos. Sem poder analisar friamente o quanto dessa verba e incentivo chegou de fato aos indivívuos e suas famílias, considero valiosa a coleção também por prestar  homenagem às cadeiras tradicionais da Colômbia ao utilizar a trama em PVC.

As cadeiras ainda foram utilizadas no projeto L’arte del ritratto, em que Francesco Jodice fotografou a equipe de funcionários da Marni em seus departamentos  – mais um ponto para a Marni.

Atualização: acabei de descobrir que os fundos arrecadados nas vendas das peças serão destinados a uma associação milanesa que reaproxima mães ex-presidiárias e seus filhos (ICAM).