Posts tagged ‘#tecnologia’

novembro 5, 2015

Inovações de 2015

por thaís serafini

O ano vai chegando ao fim e as listas de melhores/piores começam a pipocar… Nesse caso, compartilho aqui algumas das “40 inovações mais excitantes de 2015” da lista do TechInsider por serem novidades bem humanas e valiosas (pelo menos, a maioria) e fogem um pouco daquela coisa muito high tech ou do “novo pelo novo”.

Aqui você encontra a lista completa e informações sobre cada uma, recomendo a leitura.

IKEA e os refugiados

Os abrigos para refugiados projetados pela fundação IKEA e a ONU estão sendo distribuídos em campos por todo o planeta (devem chegar a 10 mil ainda esse ano). O objetivo é facilitar a instalação e organização das pessoas em meio ao caos da imigração que nos comoveu e tomou proporções inimagináveis nesse ano. A estrutura é dobrável, tem alimentação de energia solar, leva quatro horas pra ser montada, acomoda cinco pessoas, pode durar até 3 anos e é modular para que os abrigos possam ser montados juntos e configurados conforme a necessidade e do local.ikea

 

O computador de 9 dólares

Basta conectar um monitor, um teclado, um mouse e pronto: o primeiro computador do mundo a custar tão barato está pronto pra funcionar e fazer de tudo, desde trabalhar em documentos a ajudar a programar. O Chip é um mini-PC que usa Linux e foi criado pela Next Thing Co., que já enviou as primeiras unidades para os apoiadores da empresa no Kickstarter.9d-pc

 

Tesla Showerhead

Parece bobagem colocar um chuveiro aqui, junto com tantas coisas realmente importantes. Mas e se eu disser que o Nebia, além de lindo, é um sistema super tecnológico capaz de otimizar a eficiência, ampliar a área de alcance dos jatos e ainda economizar 70% da água usada em chuveiros tradicionais? Pois é. Esse modelo arrecadou 3 milhões (!!) na sua campanha no Kickstarter e começa a ser vendido por US$ 349 no ano que vem.nebia

 

A primeira droga feita em uma impressora 3D

A impressão 3D não é novidade para os designers mas o potencial dessa tecnologia, que se amplia a cada dia, é sempre impressionante. Pois a primeira droga prescrita e aprovada pelo FDA é uma pílula para convulsões decorrentes da epilepsia. Especialistas acreditam que a tecnologia vai revolucionar o mundo farmacêutico, já que vai ser possível criar drogas altamente customizadas e que a diminuição no custo vai facilitar o acesso a tratamentos nos países em desenvolvimento. No caso da Spritam, o benefício é que a pílula é porosa e se dissolve mais facilmente, algo muito importante no caso de uma convulsão.3d-drug

 

Anúncios
abril 16, 2014

Mais um pouco de Salão do Móvel

por thaís serafini

Uma parceria estelar, composta pelo novo projeto de Joseph Grima (ex-editor da revista Domus), o colaborativo de pesquisa em design Space Caviar, e o Dezeen, levou o FOMO ao Salão do Móvel.

FOMO (Fear of missing out) é o nome dado ao algoritmo editorial real-time desenvolvido pelo grupo, onde uma publicação gratuita era distribuída e gerada por uma “algorithmic journalism machine”. Um software criava artigos automaticamente através de posts em redes sociais e discursos realizados durante uma programação de 3 dias no Palazzo Clerici.

“Nos inspiramos na ideia de que os eventos são as novas revistas e lançamos a pergunta: será que o meio editorial pode se adaptar à demanda de gratificação instantânea da era digital ao abraçar a velocidade das redes sociais?” explicou um dos idealizadores do projeto.

Para saber mais: Dezeen.

fomo-salone

março 18, 2014

O futuro dos carros segundo a Volvo

por thaís serafini

Desde 2011, a sueca Volvo vem testando tecnologias autônomas para os carros com a intenção de melhorar a segurança das estradas e, consequentemente, das pessoas. A ideia da marca é ser capaz de produzir carros capazes de andar sozinhos (em trânsito lento) em pouco tempo!

O programa Drive Me da empresa, por exemplo, promete ter 100 carros autônomos nas estradas de Gothenburg até 2017. Já o sistema Traffic Jam Assistant, programado para ser lançado em 2014, permite que o carro “ande” sozinho em engarrafamentos através de uma combinação de câmeras e sensores.

volvo

Uma novidade neste sentido é um projeto finalizado recentemente com o uso de imãs. Sim, a Volvo acredita que uma estrada magnetizada é capaz de dar mais precisão a este tipo de veículo. A ideia foi parcialmente financiado pelo Trafikverket (Administração de Transportes da Suéecia) e você pode encontrar detalhes do projeto de estradas e veículos magnetizados aqui.

 

maio 18, 2012

Carregando baterias na rua

por thaís serafini

Logo logo existirá também um termo para descrever o medo de ficar sem bateria – sim, porque para a fobia de ficar sem celular já existe. As soluções alternativas para o carregamento de dispositivos são bem criativas, algumas sustentáveis como o aproveitamento da energia solar, outras mais simples, como o conhecido carregador utilizado na tomada dos carros.

A verdade é que toda uma nova gama de objetos e situações está sendo criada para tentar suprir o drama de uma bateria que está sempre acabando. O Street Charge é um conceito que pretende aproveitar estruturas urbanas já existentes, acoplando apenas um sistema de células fotovoltaícas para carregar os LEDs e armazenar energia que carregaria os dispositivos.

O mais legal mesmo é a possibilidade de criar um pequeno encontro social, já que fora das redes eles andam raros, através dos elementos convidativos: uma mini-mesa e um banco (que não está nas fotos divulgadas não sei porque), onde a pessoa pode aguardar seu aparelho ser recarregado junto a mais alguém que também se viu na mesma situação. Encontros casuais ou nem tanto?

 

via

março 6, 2012

Sobre botões

por thaís serafini

Em tempos de touchscreens, vale esse trecho do designer George Nelson escrito em 1977 mas lido por mim aqui. A resenha que contém esse trecho é da Adélia Borges, escrita em julho de 2001 com o tema “Computador sem Tela”. Achei surpreendente que tanta coisa tenha mudado em uma década, que talvez estejamos até diminuindo os botões mas nunca a tal necessidade de poder.

 

 

“O botão é completamente neutro, não faz nada além de esperar a aproximação do dedo e, por causa da disparidade entre o toque leve e suas possíveis pesadas consequências, tornou-se uma metáfora para as fantasias modernas de poder. Qualquer idiota pode apertar um botão. Ele é a hóstia da comunhão da sociedade tecnocrática. Não é surpresa, assim, que os produtos de consumo tenham um monte de botões. Quanto maior o número de botões, mais potente o usuário se torna, e mais profundo o alívio de sentimentos de insegurança. Essas podem ser razões para o aumento incrível da população de botões.”

setembro 26, 2011

Seria muita nostalgia…

por thaís serafini

…da minha parte destacar essa tecnologia como a mais ‘criativa’ ultimamente? Mas não é só pelo visual retrô não: os produtos Moshi Moshi da Native Union reduzem as ondas de radiação em 90%, permitem o uso de dois aparelhos ao mesmo tempo, e ainda carregam suas baterias enquanto você usa. Pessoalmente, além de tudo, prefiro a ergonomia deste tipo de aparelho telefônico do que aquela praticamente inexistente dos celulares modernos estilo ‘tábua’, porque afinal de contas, a cabeça humana não é uma linha reta, né?

 

 

 

via